Você sabe a verdade sobre a lei que proíbe os canudos plásticos? E como adaptar seu estabelecimento para esse novo desafio.

O governador do estado de São Paulo João Doria (PSDB) sancionou no dia 13 de julho de 2019 o projeto de lei que proíbe os canudos plásticos.  

A lei sancionada começa a valer a partir do dia 13 de julho de 2019. 

E estabelece a proibição do fornecimento de canudos plásticos em hotéis, restaurantes, bares, padarias, clubes noturnos, salões de dança e eventos musicais, entre outros estabelecimentos de qualquer espécie no Estado.  

A lei é de autoria do deputado Rogério Nogueira (DEM) foi aprovada pela Assembleia Legislativa de São Paulo em junho. 

De acordo com a lei, os canudos plásticos devem ser substituídos pelas seguintes opções: 

papel reciclável, material comestível, biodegradável ou compostáveis. 

Os canudos ainda devem vir embalados individualmente em envelopes feitos do mesmo material do canudo. 

A multa pra quem descumprir a lei vai de R$530,60 a R$5.306,00 (20 (vinte) a 200 (duzentas) Unidades Fiscais do Estado de São Paulo) podendo dobrar em caso de reincidência.

A lei estabelece que todos os valores arreceados serão destinados para programas ambientais.  

Segue Texto original da lei: http://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2019/lei-17110-12.07.2019.html 

Por que os canudos plásticos? 

A redução de plásticos de uso único é um dos maiores desafios ecológicos contemporâneo

Canudos plásticos tem um uso útil em média de 10 min. (o tempo que se gasta para tomar um refrigerante). 

Entretanto ele demora 500 anos para se decompor na natureza. 

Ainda tem estudos que vão mais longe, e dizem que o plástico do canudo nunca se decompõe: 

Ele se quebra em micropartículas, que poluem o lençol freático ou viram uma sopa plástica desequilibrando toda a cadeia alimentar.  

Pense comigo, se cada Brasileiro usar um canudo por dia, em um ano, serão utilizados: 

75.219.722.680 (setenta e cinco bilhões duzentos e dezenove milhões setecentos e vinte e dois mil seiscentos e oitenta) canudos.

Uma pesquisa do wwf aponta o Brasil entre os 15 países que mais geram lixo plástico no mundo. 

A estatística do Brasil piora pois é o que menos recicla. 

Das 11,3 milhões de toneladas do material produzidas anualmente, apenas 1,2% (145 mil toneladas) têm o destino correto. 

boa parte desse material não reciclado acaba invadindo o mar, prejudicando o habitat natural e a saúde dos animais que, com muita frequência, morrem por ingestão desse plástico descartado pelos humanos. 

veja o vídeo que chocou o mundo, e mostra os malefícios dos canudos plásticos que não são devidamente reciclados ou descartados.

Leia Também: Receba seu cliente junto com seu melhor amigo, conheça o conceito Pet Friendly.

Mas e agora? 

Estabelecimentos tem recorrido a opções biodegradáveis ou compostáveis. 

 Mas qual a diferença entre o material compostável e o biodegradável?  
 
Compostável: é o material composto por nutrientes, benéficos ao meio ambiente e de fácil degradação. Os compostáveis não levam mais que seis meses para serem decompostos na natureza.  
 
Biodegradáveis: o biodegradável é simplesmente o material que será reinserido à natureza, não importa quanto tempo para isso seja necessário. Tal material não impacta negativamente o meio ambiente, mas pode levar séculos para sua degradação. 

Como você pode perceber o canudo compostável é ainda melhor do que o canudo de material biodegradável. 

E tem uma empresa que vem se destacando no fornecimento de canudos compostáveis 

Essa empresa é a Touché Canudos 

Touché canudos chegam no mercado buscando mudar o estilo de utilização de canudos. 

Com opções variadas e preços acessíveis para que esse novo conceito de responsabilidade ambiental seja introduzido da melhor forma possível para os donos de bares restaurantes e afins.

Saiba mais: Touché Canudos